Skip to main content
Prefeitura de Olinda

RUÍNA EM TERRENO BALDIO NA RUA DO SOL VIRA “CASA DO TERROR” NO SÍTIO HISTÓRICO

Encravada em um terreno entre as ruas do Farol e do Sol, no bairro do Carmo, as ruínas de uma antiga casa nesta área do Sítio Histórico se transformaram em um “point” de prostituição, assaltos e consumo de drogas. Mas o que 99,99% da população não sabe é que o imóvel foi desapropriado pela Prefeitura de Olinda, ainda na gestão de Renildo Calheiros (PCdoB), para construção de um fabuloso mercado de peixe.

Como a obra jamais saiu do papel, o espaço foi se degradando até chegar ao deplorável (e perigoso) estado atual. Os moradores da área, que já não aguentam mais sofrer com o lixo, os assaltos e as cenas de sexo explícito entre as pobres almas que frequentam aquele randevu, pedem providências à proprietária do terreno.

“Por conta da droga eles assaltam os turistas e o povo na rua; invadem nossas casas para furtar bombas de água, lâmpadas, peças de ar-condicionado ou qualquer objeto que tenha o mínimo valor onde eles possam transformar em dinheiro para se acabar nas pedras de crack. A gente tá vivendo um inferno aqui”, resumiu uma vizinha da “Casa do Terror”.

MORTE – Para os moradores, enquanto o tal mercado de peixes não é construído, a Prefeitura de Olinda deveria demolir as ruínas, limpar e cercar o terreno. “Hoje é o retrato do abandono e só atrai mais coisas ruins. Os turistas passam por aqui e acham um horror. Um péssimo cartão postal para a Cidade Patrimônio. Além disso, o prédio também pode desmoronar e matar os coitados que estiverem dentro”, alertou um comerciante da área.

QUER SABER TUDO SOBRE OLINDA E REGIÃO PRIMEIRO??? – Curta nossa página no Facebook. Siga nos no Instagram e participe do grupo no ZAP.

https://www.facebook.com/observatoriodeolinda Facebook

https://www.instagram.com/observatoriodeolinda/ Instagram

https://chat.whatsapp.com/DwrQyyqBxJAAfBJ5kcGJ1n WhatsApp

https://www.youtube.com/channel/UCRiaMDDQmUXI-YJqzkl1VWw Youtube

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: