Skip to main content

PARA CONHECER MAIS A PRÓPRIA CIDADE

O município de Olinda como um todo, em especial a área do Sítio Histórico, é um verdadeiro museu a céu aberto. Apesar disso, a maioria dos olindenses não conhece em profundidade a própria cidade. Isto se deve em parte à falta de compromisso das escolas em trabalhar junto aos alunos a história da cidade.

Um pequeno passo para reverter este quadro, entretanto, foi dado pela Secretaria de Educação que reuniu na última sexta-feira (18) os coordenadores pedagógicos que acompanham as turmas da educação infantil da rede municipal em uma formação continuada que teve o objetivo de leva-los a conhecer, apreciar e explorar elementos naturais e culturais da cultura local.

O encontro, denominado “Exploração de Mundos”, tirou os coordenadores das unidades escolares para vivenciar a história e importância religiosa e cultural de diversos pontos do Sítio Histórico de Olinda, entre eles o Convento de São Francisco, Alto da Sé e o Museu do Mamulengo.

De acordo com a diretora de Ensino da Secretaria de Educação, Célia Bastos, esses elementos culturais são muito significativos para o ensino infantil. “A ideia é refletir com os alunos o conteúdo trabalhado, destacando de que maneira a criança aprende, além de sentir um olhar explorador”, explica.


Para a coordenadora de uma equipe de professores escolares, Lúbia de Melo, este contato com a cultura viva e a reflexão desta prática no espaço pedagógico é muito importante.  “É de nosso interesse no planejamento da aula encontrar uma forma do professor poder conduzir certos temas. Desse modo, entendemos que experiências como essas, tão importante para o desenvolvimento das crianças, estarão presentes nas práticas”, pontuou.

Como forma de construir uma identidade cultural, o público infantil precisa saber do funcionamento da natureza e aprender os modos de vida da sua comunidade. “Além disso, a criança também produz cultura. Basta darmos uma olhada em como os jogos e os brinquedos têm sofrido mudanças, porque as crianças de cada época, sintonizadas com o seu tempo, demandam interações com estes bens culturais. O conhecimento do mundo natural e social pelas crianças se faz pela imersão e contato com esse universo”, destaca Célia Bastos.

O ciclo da formação “Exploração de Mundos” compreende três eixos de descobrimento: coordenadores, professores e alunos, com a proposta de poder levar os estudantes do município aos espaços culturais.

Deixe uma resposta