Skip to main content

O OLINDÃO E O VERGONHOSO DISCURSO ATEU – José Arnaldo*

A pessoa minimamente informada sobre a ideologia dita comunista inventada por Karl Marx e Friedrich Engels, no século 18, na Alemanha, sabe muito bem que a deletéria crença se baseia fundamentalmente na luta de classes.

Ou seja, na liquidação, inclusive, física, através de insurreições violentas, dos indivíduos integrantes da burguesia e demais segmentos sociais que não componham as elites revolucionárias e seus esbirros, – ora hegemonizadas globalmente pelo genocida PC Chinês – encarregadas de impor a famigerada “nova ordem mundial” de tais celerados, à humanidade.

Além da liquidação da burguesia, os comunistas materialistas ateus, também voltam seus ódios destruidores para a extinção da propriedade privada, e de todas as religiões, máxime, o judaísmo e o cristianismo, colunas centrais da civilização judaico-cristã, vez que seguem à risca o carma marxista-leninista de que ‘a religião é o ópio do povo”.

Ora, a par disso não causa o mais mínimo espanto, as deploráveis declarações do pré-candidato a prefeito de OLINDA, pelo PCdoB, acusando o atual burgomestre olindense, – ainda recentemente aliado dessa trupe vermelha da foice e do martelo -, de abandonar o estádio Olindão, em Jardim Brasil, por ser evangélico.

Vale lembrar que durante a nossa gestão à frente da Prefeitura de Olinda, o referido Estádio Municipal Eugênio Araújo, recebia cuidadosa manutenção e era palco de saudosos campeonatos de futebol envolvendo todos os bairros da nossa Olinda.

Isto, infelizmente, se perdeu ao longo dos anos, inclusive e notadamente nas recentes administrações comunistas (2001-2016) e também na atual gestão. É fato.

Mas, ao mesmo tempo em que merecem o mais firme repúdio as odientas afirmações do pré-candidato do PCdoB, constata-se que o fogo oriundo do Palácio das Princesas, lá da Ilha de Antônio Vaz, nos Arrecifes dos Mascates, está começando a fazer arder a campanha política pela reeleição do atual inquilino do Palácio dos Governadores, cá na irredenta, eternamente fênix, OLINDA – Patrimônio Natural e Cultural da Humanidade.

José Arnaldo Amaral, advogado e ex-prefeito de Olinda entre 1983 e 1989.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: