Skip to main content
Prefeitura de Olinda

FALLOW & DISSE: “SE LIBERAR, VEREMOS MUITA DESTRUIÇÃO – PL 399 NÃO” – Kildare Johnson

Senhoras e senhores observadores, ontem o Brasil lotou as ruas das capitais e das principais cidades do país, na Marcha da Família Cristã pela Liberdade, um evento que reuniu religiosos e que em todas as cidades foi dado o ALERTA sobre o Projeto de Lei 399/2015, que será votado nesta semana na Câmara do Deputados, um PL que tem por finalidade viabilizar a comercialização de medicamentos que contenham partes de MACONHA.

Os defensores da DROGA afirmam que a legalização da MACONHA visa a regulamentação da produção e distribuição dessa DROGA NOCIVA, “só isso”, como se fosse algo banal e a MACONHA não MATASSE! Há até os que defendem o tal “USO RECREATIVO” dessa e de outras DROGAS e há os que chegam ao ABSURDO de propor que o usuário cultive a sua própria MACONHA em casa! Na verdade, o que resultaria desse ABSURDO seria a criação de mais alguns “comércios paralelos de DROGAS“, o conhecidos “pontos de venda” ou BOCAS-DE-FUMO e nada mais! Ou seja, NADA mudaria, exceto os problemas causados pelo aumento exponencial dos pontos de venda e a VIOLÊNCIA, claro, EXPLODIRIA, como aconteceu em nosso vizinho Uruguai!

Por citar PROBLEMAS, vejam alguns dos mais PERIGOSOS EFEITOS DA MACONHA que poderão se multiplicar com o advento da legalização:

Aumento do consumo e em consequência dele, o número dos usuários, o que significaria mais jovens se tornando DEPENDENTES QUÍMICOS;

Aumento significativo das DOENÇAS psiquiátricas relacionadas ao consumo de DROGAS;

– Maior incidência de ACIDENTES DE TRÂNSITO pois a mistura MACONHA-ÁLCOOL-COMPOSTOS ENERGÉTICOS e DIREÇÃO resulta na perda dos reflexos e até da consciência!

Outro dano GRAVE é que, uma vez legalizada a MACONHA, muitos usuários não terão dinheiro para comprar devido aos preços, onde incidirão altíssimos impostos e, com isso teríamos maior AUMENTO DA CRIMINALIDADE! Se engana quem pensa o contrário, porque a DROGA não deixaria de entrar ilegalmente no Brasil e o tráfico não deixaria de existir por causa da tal “liberação”, foi assim em outros países e aqui não seria diferente!

O custo com a legalização da MACONHA pode ser MUITO MAIOR do que possamos conceber! A Sociedade, mais uma vez, seria a MAIOR PREJUDICADA, pois os gastos públicos com o tratamento de DOENÇAS MENTAIS, DESESTRUTURAS FAMILIARES e o AUMENTO dos CRIMES VIOLENTOS, acompanharia a “oferta” de DROGAS, num ciclo MORTAL.

O Fórum Nacional de Juízes Criminais (FONAJUC) afirma que o Brasil não está preparado para enfrentar as possíveis consequências em caso de descriminalização da MACONHA para o tal “consumo próprio”. Para a entidade, o país pode se tornar ainda MAIS VIOLENTO. Os membros sustentam que há diversas experiências de países que descriminalizaram o uso de maconha e não tiveram resultados positivos e o PIOR disso é o inevitável surgimento do estado paralelo do comércio dessas drogas e, igualmente, pela disputa do narcotráfico pela fabricação, ou seja, a formação de um NARCOESTADO! O FONAJUC cita o exemplo da Holanda, onde existem manifestações do prefeito de Amsterdã, além da polícia e do Ministério Público holandês, alertando que a criminalidade está aumentando com o surgimento de mais grupos criminosos e de uma “economia paralela” baseada no tráfico de DROGAS.

Não podemos esquecer a experiência do nosso vizinho, o Uruguai, onde a MACONHA é descriminalizada desde dezembro de 2013. Lá, há registros de que o aumento da criminalidade está associado a tensões pelo controle dos pontos de venda após a redução de parte do mercado ilegal. Na Capital, Montevidéu, é a área onde são registrados mais CRIMES VIOLENTOS e as autoridades reconhecem que cerca de 45% dos homicídios tiveram relação com brigas entre narcotraficantes pelo controle de territórios.

Sabemos que caso o PL 399/15 seja absurdamente aprovado será necessário haver em CARÁTER DE URGÊNCIA, uma transformação nas políticas públicas de cuidados com os dependentes químicos. A coisa é muito mais SÉRIA do que possamos imaginar, porque, caso haja a liberação da MACONHA, outras DROGAS virão logo em seguida e as situações de riscos tenderão a aumentar, ou seja: se liberar veremos muita destruição, PL399 não.

Kildare Johnson – Bacharel em Direito, Mediador/Conciliador, Árbitro Judicial e Palestrante RM.

QUER SABER TUDO SOBRE OLINDA PRIMEIRO??? – Curta nossa página no Facebook. Siga nos no Instagram e participe do grupo no ZAP.

https://www.facebook.com/observatoriodeolinda Facebook

https://www.instagram.com/observatoriodeolinda/ Instagram

https://chat.whatsapp.com/DwrQyyqBxJAAfBJ5kcGJ1n WhatsApp

https://www.youtube.com/channel/UCRiaMDDQmUXI-YJqzkl1VWw Youtube

2 thoughts to “FALLOW & DISSE: “SE LIBERAR, VEREMOS MUITA DESTRUIÇÃO – PL 399 NÃO” – Kildare Johnson”

  1. Que catarse doida esse texto kkkkkk Parece até que quem escreveu tava fumando uma.

    A PL é sobre a liberação de medicamentos à base de substâncias da maconha, não para uso recreativo, como o cigarro comum; Visa facilitar o tratamento de pessoas com epilepsia, câncer, pakinson, dores crônicas e etc. Ironicamente, o texto inicia com essa informação, mas descamba loucamente pra fora do contexto. Sugiro que o autor, antes de se precipitar, procure relatos de pacientes que fazem uso desses medicamentos e como estes fazem para obtê-lo dentro das circunstâncias sociais e financeiras que vivem. É triste.

    Por fim, lindo mesmo seria se essa tal marcha cristã protestasse contra o uso irrestrito do álcool. Sim, esse mesmo; já que todas os critérios da lista aí em cima engloba, também, efeitos e consequências do consumo do álcool, muito mais nocivos e danosos para a sociedade do que o fantasma da liberação da maconha.
    Esse texto desinforma e surfa na onda da sociedade rasa e inflamada que procuram apenas uma faísca para explodir. Mais informação e menos escândalo, por favor.

    E não, eu não fumo. Odeio cigarro, falsa simetria e hipocrisia;

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: