Skip to main content
Prefeitura de Olinda

CRESCE MOVIMENTO CONTRA CARNAVAL EM 2022

* Seja um apoiador do Observatório de Olinda!!! Faça um PIX de qualquer valor +5581999661001

No momento em que a Europa e países asiáticos experimentam uma nova onda da covid-19, no Brasil ganha corpo o debate sobre a realização, ou não, do Carnaval, em 2022. Ontem (17), o prefeito Professor Lupércio voltou a afirmar que Olinda está pronta para realizar o Reveillon e também os Festejos de Momo.

No território livre da internet, entretanto, boa parte dos posicionamentos é contrário à realização da festa, que se caracteriza exatamente por multidões formando aglomerações com total desrespeito a qualquer norma sanitária de afastamento social.

“Todo esforço que foi feito até agora será jogado na lata do lixo, caso se permita a realização de Carnaval nos moldes pré-pandemia. A situação da Europa e da China, onde a maioria da população está vacinada e, mesmo assim, um novo surto da doença está acontecendo, mostra que liberar Carnaval agora seria uma temeridade”, afirmou a técnica em informática Jucilene Cabral.

A favor da realização da festa, o comerciante Marinaldo Mendes Tito, diz que o Carnaval movimenta a economia e até a data do evento praticamente toda população adulta brasileira estará imunizada. “E mais um detalhe: vai quem quer. A vida precisa voltar ao normal. Hoje número de mortes já é mínimo. Acredito que a pandemia acabou”, argumentou.

E você, o que acha???

QUER SABER TUDO SOBRE OLINDA E REGIÃO PRIMEIRO??? – Curta nossa página no Facebook. Siga nos no Instagram e participe do grupo no ZAP.

https://www.facebook.com/observatoriodeolinda Facebook

https://www.instagram.com/observatoriodeolinda/ Instagram

https://chat.whatsapp.com/GnwAR5YPueF8QlNFVGAtRA WhatsApp

https://www.youtube.com/channel/UCRiaMDDQmUXI-YJqzkl1VWw Youtube

2 thoughts to “CRESCE MOVIMENTO CONTRA CARNAVAL EM 2022”

  1. A grande diferença são as estruturas necessárias para conter qualquer nova onda do vírus.

    Quanto aqui no Brasil, todos viram o drama que foi: falta de oxigênio, leito, de hospitais de campanha abre e fecha no curto espaço de tempo e por aí vai.

    Como desconsiderar essa fragilidade diante de uma possível nova onda provocada por aglomerações?

  2. Amo esse comentário ridículo: “vai quem quer”. São justamente esses que vão f… o resto do povo e da economia. Que retórica burra é imbecil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: