Skip to main content
Prefeitura de Olinda

CREMEPE QUESTIONA VESTIBULAR DA FACULDADE DE MEDICINA DE OLINDA

Prestes a completar quatro anos, a Faculdade de Medicina de Olinda (FMO), já enfrenta uma grande crise com as entidades representativas da classe médica no estado por conta do seu vestibular. O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe), o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) , a Associação Médica de Pernambuco (Ampe) e a Associação Pernambucana de Medicina (Apm) questionam a convocação de estudantes que teriam nota pouco acima de 2,0. Ontem (23), a FMO publicou anúncio nos jornais defendendo os critérios de seleção.

A polêmica começou após a FMO ter publicado edital de convocação da 10ª chamada para o vestibular 2018.2, com a abertura de mais 80 vagas. Alunos com notas muito baixas teriam sido admitidos no curso, o que gerou a manifestação das entidades questionando os critérios do vestibular.

“A FMO desprezou os critérios de bom senso e razoabilidade permitindo que candidatos com nota um pouco acima de dois pontos se habilitassem a entrar no curso de medicina. Manifestamos a nossa preocupação com a formação acadêmica dos futuros profissionais”, diz a nota.

Em defesa do seu vestibular a FMO publicou a seguinte nota:

A Portaria MEC n° 610, de 06 de setembro de 2018, publicada em 10 de setembro de 2018, no Diário Oficial da União, autorizou a FACULDADE DE MEDICINA DE OLINDA – FMO a abrir 80 (oitenta) novas vagas para o curso de Medicina.

Considerando o fato de já haver ocorrido o vestibular 2018.2, cujo resultado ainda se encontra dentro do prazo de validade, e visando ao aproveitamento das inscrições ali realizadas, impedindo-se a cobrança de nova taxa de inscrição para realização de outro certame, a Instituição achou por bem convocar os candidatos classificados no vestibular já realizado, observadas todas as normas e regulamentos aplicáveis à espécie.

Esclarecemos que o vestibular da Faculdade de Medicina de Olinda é realizado por empresa idônea, precisamente a AM3, presidida pelo Sr. Murilo Cesar Amorim Silva, responsável por estabelecer os critérios de classificação e a pontuação mínima para entrada no curso, sendo imperioso registrar que a FMO oferece ensino de qualidade, trabalhando para formar profissionais capacitados e dotados de sensibilidade humana e social, razão pela qual vem se destacando na colaboração com setores públicos e privados para a realização de mudanças significativas na saúde em todo o Estado de Pernambuco, principalmente no Município de Olinda.

Por fim, pontuamos que as eventuais insatisfações de terceiros que não lograram êxito nas tentativas de ingresso em nossa Instituição ou que, por leviandade e desconhecimento de causa, intentam denegrir o conceito e imagem de que gozamos no seio da comunidade acadêmica, serão objeto de medidas específicas, inclusive judiciais, tendentes à reparação dos danos decorrentes de tal proceder, sem prejuízo da apuração de outros e quaisquer ilícitos daí derivados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: