Skip to main content
Prefeitura de Olinda

COMPESA INICIA TESTES EM NOVA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

A rede de distribuição de água implantada na segunda etapa do projeto Olinda+Água começou a ser testada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) no bairro de de Ouro Preto (incluindo a zona rural). Em seguida a empresa vai realizar o mesmo processo no Bairro Novo e, até o final deste mês, o reforço no abastecimento chega a Jatobá e parte de Jardim Fragoso e Bultrins.
Nesse período, de pré-operação, é possível que surjam situações pontuais de falta de água ou baixa pressão, que ao serem identificadas pelas equipes técnicas receberão de imediato ações corretivas para regularização do abastecimento. A Compesa disponibilizou um telefone exclusivo para receber solicitações via WhatsApp – (81) 99488.5119 – para os clientes dessas áreas informarem a ocorrência de falta de água em seu imóvel.
A operação plena do novo sistema implantado na segunda fase do Olinda+Água inicia na primeira semana de julho, levando benefícios ao fornecimento de água para cerca de 60 mil pessoas nesses bairros, como a melhoria das pressões e ampliação das horas de abastecimento no dia de calendário. A meta do Olinda+Água é melhorar gradativamente a prestação do serviço de abastecimento de água até que a população passe a ser atendida todos os dias, durante 24 horas.
Só na segunda etapa do projeto foram assentados mais de 24 quilômetros de tubulações, além da instalação de válvulas e macromedidores para melhoria da eficiência do controle operacional do sistema. “Uma parte fundamental dessa obra são as ações de setorização, que permitem modernizar e dividir a rede em setores distintos de abastecimento por meio de dispositivos de medição de vazão e pressão. Com esses investimentos, reduziremos as perdas e a frequência de vazamentos”, explica o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Reginaldo Lopes.
R$ 134 MILHÕES – A terceira fase de obras do Olinda+Água vai iniciar no mês de julho e abrange os bairros do Sítio Histórico: Monte, Guadalupe, Bonsucesso, Amaro Branco, Carmo, Varadouro, Santa Tereza e parte dos Bultrins. Nessa etapa, está prevista a implantação de mais 25 quilômetros de tubulações. A Compesa investe R$ 134 milhões em todo o projeto, recursos viabilizados junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD). A obra beneficia mais da metade da população de Olinda, cerca de 250 mil pessoas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: