Skip to main content
Prefeitura de Olinda

NO COLÉGIO IMACULADO ÚNICO VALOR QUE IMPORTA É O ‘VIL METAL’

O relato a seguir é o desabafo de uma família cujo filho(a) está sendo enxotado(a) do Colégio Imaculado Coração de Maria, depois de 12 anos de relacionamento (do jardim da infância até o 2º ano do Ensino Médio), por não mais poder pagar o valor integral das mensalidades.

Após, pela primeira vez em mais de dez anos, solicitar um desconto, ouviram um sonoro NÃO. E o(a) estudante terá que deixar a escola em seu último ano, rompendo diversos laços (pedagógicos, emocionais) com a instituição, professores e amigos.

Insensibilidade, frieza extrema, amor ao dinheiro e crueldade. É tudo isso junto. O que vale ali é o vil metal. Leiam.

“Meu filho(a) estuda no Colégio Imaculado Coração de Maria desde o ano de 2008. Em 12 anos, NUNCA deixei de pagar uma única mensalidade na data estipulada pela escola. E, apesar de ter uma das mensalidades mais caras da cidade, NUNCA solicitei nenhum tipo de desconto. NUNCA.

Nos últimos anos, porém, as dificuldades que atingiram as famílias brasileiras aumentaram. Os salários estão praticamente congelados enquanto os preços de tudo sobem sem controle. A pandemia terminou por agravar ainda mais a situação e todo mundo está fazendo “malabarismos” para sobreviver.

Em 2021 o aluno(a) cursará o 3º Ano do Ensino Médio, cuja mensalidade no Imaculado é de R$ 1.367,67 (Anuidade – R$ 16.412,04). Muito difícil para quem recebe salário de aproximadamente R$ 3.900,00 há anos. Pagar a escola ou comer????

Evidentemente que trata-se de uma instituição privada que depende das mensalidades para honrar seus compromissos. Por isso mesmo, ninguém quer deixar de pagar. Ao contrário.

Com muito sacrifício, fez-se uma proposta à direção da escola de quitação da anuidade em pagamento único de R$ 10.000,00, mas a o colégio não abre mão de R$ 13.129,63 – incluindo aí inclusive todos os sessenta e três centavos cobrados pelo seu Departamento Financeiro.

“Este valor é fechado e inegociável”, foi o que mais de um representante da escola informou à família, que, infelizmente, não tem mais de onde tirar dinheiro para pagar a diferença.

Desta forma, absolutamente mercantilista, o Colégio Coração de Maria esqueceu: 1) Os 12 anos que a família foi sua “cliente” fiel e com pagamentos rigorosamente em dia; 2) Os danos emocionais que serão causados ao(a) estudante; 3) Que não haverá aula presencial antes do segundo semestre por conta da pandemia; 4) Que as crianças continuarão assistindo aulas pelo celular; 5) E, não menos importante, os princípios cristãos que deveriam nortear a conduta da instituição – dita religiosa.

Agora, nesta reta final da primeira fase da vida estudantil, em plena época de Natal, família e aluno(a) vão sentir na pele a realidade do único valor que, aparentemente, importa para o Colégio Imaculado Coração de Maria: o tilintar das moedas, o vil metal, o boleto pago. E só.

E se o Papa Francisco declarou que “O consumismo sequestrou o Natal”, é possível afirmar que, em Olinda, a escola de sua igreja “assassinou” a data de nascimento de Jesus Cristo.

“Neste momento difícil, invés de reclamarmos do que a pandemia nos impede de fazer, façamos algo por quem tem menos”, confabulou o papa argentino.

De volta à realidade da família, de nada adiantou a humilhação do pai, contando sua história diversas vezes aos funcionários da escola ou escrevendo relatórios sobre a situação. A decisão da escola foi seca e fria: Sem o dinheiro todo, sem matrícula.

Nem mesmo os bancos ou as empresas de cartão de crédito – maiores representantes do capitalismo e que não se escondem atrás da capa da religião – tratam clientes com tanta frieza, desprezo e intransigência.

É triste, portanto, constatar que, estivesse no planeta Terra nos dias de hoje, o Filho de Maria, o Salvador, certamente não poderia nem passar na porta do Colégio Imaculado.

Seu pai, o pobre carpinteiro José, não teria como pagar a mensalidade para o Menino Jesus estudar no colégio que leva o nome da sua mãe.

Mas enfim, este tipo de crueldade não mata ninguém. Deixa suas marcas, mas também ajuda a crescer e a enxergar a realidade deste mundo materialista, onde os discursos de “solidariedade, amor ao próximo, espiritualidade, compromisso com a educação etc” são apenas falácias, jogos de palavras, absolutamente desconectados e incoerentes com a realidade.

Realidade que, há mais de dois mil anos, a humanidade sabe que, muitas vezes, 30 moedas valem mais que uma vida. Um belo Presente de Natal para quem acreditou que havia algum tipo de humanidade naquele lugar. Não. Não há.

Sentido agora só fazem os versos da música dos Titãs “Homem Primata” quando diz: “Eu aprendi, a vida é um jogo, cada um por si e Deus contra todos // Você vai morrer e não vai pro céu // É bom aprender, a vida é cruel // Homem Primata, capitalismo selvagem . . .

MUITO IMPORTANTE TER VOCÊ COM A GENTE – Curta nossa página no Facebook. Siga nos no Instagram e participe do grupo no ZAP.

https://www.facebook.com/observatoriodeolinda Facebook

https://www.instagram.com/observatoriodeolinda/ Instagram

https://chat.whatsapp.com/DwrQyyqBxJAAfBJ5kcGJ1n WhatsApp

https://twitter.com/obsolinda Twitter

https://www.youtube.com/channel/UCRiaMDDQmUXI-YJqzkl1VWw Youtube

3 thoughts to “NO COLÉGIO IMACULADO ÚNICO VALOR QUE IMPORTA É O ‘VIL METAL’”

  1. Essa situação já vivemos também.
    Quando a minha esposa cursava psicologia na FACHO, que também é administrada por essas freiras que se dizem jesuítas, passávamos por um período “apertado” financeiramente e fomos pedir um desconto nas mensalidades e mais prazo para quitar o débito. Para nossa surpresa ouvimos como resposta da então diretora, “irmã Glicéria”, que “SÓ ESTUDA QUEM PODE”. Ficamos desapontados com tamanha frieza por parte de uma pessoa “religiosa” que, na nossa concepção, jamais usaria tal posicionamento perante qualquer pessoa.
    Infelizmente só vale o dinheiro para essa “organização religiosa”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: