logo

share

A VIOLÊNCIA E O DESESPERO DA CLASSE MÉDIA

Desde o início da semana os pais de alunos do Colégio Imaculado Coração de Maria – tradicional instituição de ensino Católica, localizada no Bairro Novo – estão sendo abordados por um grupo de mães da mesma escola que organiza abaixo-assinado para cobrar mais segurança à direção do colégio. A mobilização se deve ao crescente número de assaltos aos estudantes no entorno do local e revela duas coisas: o desespero da classe média e a “falência múltipla dos órgãos” do Estado brasileiro.

Antes de continuar a falar deste assunto é bom fazer uma ressalva; deixando claro que abordagens de assaltantes a estudantes ou qualquer outro cidadão nas nossas ruas não são um privilégio do Colégio Imaculado, do Bairro Novo, de Olinda, de Pernambuco. . . mas uma praga que virou metástase no País inteiro. O Brasil faliu e o cidadão está órfão de tudo. De todos os serviços básicos como segurança, saúde e educação.

E ao invés de criar meios e cobrar do governo a sua responsabilidade a classe média está batendo na porta errada. Assim, para resolver os problemas de educação sem qualidade, saúde precária e falta de segurança, criaram-se escolas privadas, planos de saúde e empresas de segurança patrimonial. O Estado foi deixando de prestar os serviços e a conta foi empurrada delicadamente para a classe média, que hoje paga pelo que deveria ser ofertado gratuitamente como retribuição pelos impostos arrecadados.

Em tese, a escola não tem qualquer responsabilidade sobre o que acontece fora de seus muros. Depois desse movimento ela poderá até ampliar o número de seguranças nas ruas próximas às saídas do colégio, mas, na verdade, esta é uma obrigação que é descumprida pelo estado, pelo Governo de Pernambuco. É do governador Paulo Câmara que se deve cobrar. Caso contrário vamos continuar o ciclo vicioso de usar anestésico para curar uma dor de dente que só se resolve com um profundo e sério tratamento de canal.

logo