Skip to main content
Blog Observatório de Olinda

FALOW & DISSE! “O ERRADO QUER SER CERTO, NUNCA SERÁ?” – Kildare Johnson

Senhoras e Senhores observadores,

Fazia tempo que algo não me deixava tão perplexo, desapontado e ao mesmo tempo incomodado com a falta de profissionalismo da dita “grande mídia”, aparentemente eivada por uma insistente e falida ideologia tosca e ultrapassada, que parece ter virado obsessão e que, como todo excesso, está gradativamente destruindo o que eles deveriam primar: a CREDIBILIDADE junto à opinião pública (dos que conseguem raciocinar, claro).

O distanciamento da realidade com a qual a “grande mídia” trata assuntos semelhantes é flagrante, numa demonstração de total desrespeito ao público e, sobretudo, às vítimas e seus parentes.

Lembremos a barbárie que um casal de lésbicas cometeu ao degolar, ainda vivo, o pequeno Rhuan, sendo uma dessas (…) a própria “mãe” da criança, cuja repercussão do caso foi quase nula, se comparada ao noticiário que invadiu o espaço quando do assassinado da vereadora, também lésbica, e ativista política da “ideologia de gênero”, Marielle Franco, no ano passado, chegando, por vezes, a esquecer que com a parlamentar também morreu o motorista… o rapaz… o pai de família, com um filho de apenas uma ano… (como era o nome dele mesmo? Anderson Pedro Gomes).

Por falar em “ideologia de gênero”, as lésbicas que massacraram o indefeso Rhuan, de 9 anos, há um ano mutilaram o garoto exatamente por conta dessa tal “ideologia de gênero”, numa clara tentativa de mudar a opção sexual do menino, sem que ele próprio pudesse optar. Isso é algo inconcebível, é ABOMINÁVEL!

Não bastasse essa discrepância, a grande mídia se ocupa em evidenciar um hacker, um criminoso como é o Gleen Greenwald, que publicou no site “The Intercept Brasil”, SUPOSTAS mensagens entre o Procurador Deltan Dallagnol e o então Juiz Sérgio Moro, obtidas de forma ilegal e sem nenhuma comprovação de veracidade.


E, ainda que elas tenham ocorrido, divergindo de toda a mentira mostrada ao longo das defesas dos criminosos envolvidos na Operação Lava Jato, ocorreu um crime de violação dos direitos básicos de um magistrado, cujo trabalho era o de combater a corrupção, e não proteger bandidos corruptos, como querem alguns!

Outra “bola fora” foi conceder espaço a um presidiário, um bandido condenado, que, de forma abjeta, entre outras asneiras que costuma sempre falar, veio pôr em dúvida até o atentado sofrido pelo então candidato a Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, com tola justificativa do não sangramento externo. São antagonismos que demonstram os tempos difíceis que nossa Nação vem enfrentando ao longo de, no mínimo, três décadas!

CERTO mesmo é que a Operação Lava Jato tem vida própria, seguirá firme no seu propósito de combate a corrupção, e o ERRADO tem que ser punido. Enquanto isso, as “greves” dos que não trabalham falham, o ministro Sérgio Moro e o HOMEM passam em todos os “testes de estádios e de ruas”, com louvores.

Kildare Johnson – Mediador Judicial – Árbitro – Palestrante motivacional. Escreve aos domingos no Observatório de Olinda.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: