Skip to main content

SAIBA COMO SERÁ A REQUALIFICAÇÃO DA AVENIDA PRESIDENTE KENNEDY

Hoje vamos mostrar detalhes do projeto de requalificação da Avenida Presidente Kennedy. A via de 4,4 quilômetros deverá receber nove loopings de quadra para oferecer mais pontos de retorno, além da troca de 15,5 quilômetros de tubulação de drenagem de águas pluviais que serão conduzidas até o Rio Beberibe.

A medida, segundo a gestão municipal, resolverá um dos principais problemas da avenida, que são os alagamentos. Também será seccionado o trecho compreendido entre a II Perimetral e a Avenida Brasília. A Prefeitura de Olinda ainda irá construir canaletas superficiais nas calçadas, em alvenaria estrutural com tampas, e nas transversais, em concreto armado.

A estrutura atual, que tem boa parte danificada, será recuperada e serviços de manutenção serão realizados em galerias, canaletas e tampas e caixas coletoras em vias de bairros adjacentes como Jardim Brasil, Vila Popular e Peixinhos. Serão beneficiadas: Rua Maria Sodré da Mota, Rua Ceará, Rua João Pessoa, Rua Paraná, Rua Cônego Xavier Pedrosa, Avenida Brasília, Rua Pará, Rua Mato Grosso do Sul e Rua Teresina.

RECAPEAMENTO TOTAL – O projeto também inclui a requalificação de todas as calçadas da via, que serão alargadas para 1,5 metro, incluindo elementos de acessibilidade. As lâmpadas serão trocadas para luzes de LED, conferindo melhor luminosidade e economia no custo com energia. O canteiro central será repaginado e haverá nova sinalização horizontal e vertical. Todo o traçado da avenida será recapeado.

Um dos principais problemas da antiga reforma da Kennedy foi a instalação dos pontos de ônibus no corredor central. Eles serão retirados. No total, oito paradas serão deslocadas para as calçadas, onde serão construídos recuos.

Com a nova configuração, os ônibus voltarão a circular do lado direito da via, junto às calçadas. Os demais veículos seguirão pela faixa da esquerda, e a divisão entre ambos será feita por meio de uma faixa azul. Pela via passam, diariamente, 39 linhas de ônibus metropolitanas e sete linhas que operam apenas no espaço geográfico da cidade.

A construção de recuos nas calçadas permitirá que os coletivos parados para embarque e desembarque de passageiros não fechem o fluxo dos demais ônibus que estiverem seguindo pela via. O retorno das paradas de ônibus para as calçadas pretende oferecer maior segurança aos pedestres que não precisarão mais fazer as travessias até os atuais pontos.

Com informações do OP9

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/observatoriodeol/public_html/wp-includes/functions.php on line 4669