Skip to main content

ORLA MARÍTIMA DE OLINDA VIROU UMA GRANDE FAVELA À BEIRA MAR

A orla marítima de Olinda sempre deixou a desejar. O avanço do mar fez com que a faixa de areia ficasse cada vez mais restrita e de uns anos pra cá as poucas áreas onde ainda é possível o uso pelos banhistas estão se transformando em uma verdadeira favela à beira mar. Sem falar nos criminosos esgotos clandestinos que são lançados nas águas, como mostramos na matéria de ontem (16).

Além das palhoças de aspecto tenebroso; lenta e continuamente novas barracas igualmente sujas vêm surgindo e ocupando irregularmente as praias todos os dias. Em frente à Praça Duque de Caxias é possível encontrar carcaças de geladeiras, carrinhos de supermercado e tapumes de madeira improvisados como pontos de apoio para o comércio de cocos e bugigangas em geral.

XIXI – Em Casa Caiada, nos fundos do antigo Bompreço/G Barbosa, a nojeira é a mesma, acrescentada de um “eterno odor” de urina. “É vergonhoso. E imundo. Sou morador de Casa Caiada, mas não tenho coragem de convidar ninguém para vir comer um peixe ou tomar uma cerveja nessas praias. Parece uma favela mesmo”, resumiu o veterinário Sebastião Assunção.

O impacto da desorganização se desdobra no mercado imobiliário. Apartamentos que normalmente custariam R$ 800 mil são vendidos por até R$ 500 mil, desvalorizados pela omissão do poder público, que se nega a enfrentar o problema de frente. Olinda continua andando para trás.

3 comentários em “ORLA MARÍTIMA DE OLINDA VIROU UMA GRANDE FAVELA À BEIRA MAR

  1. O que sempre também deixou a desejar foram as administrações de nossa Marim dos Caetés. Em uma Cidade onde a oferta de emprego é escassa, o poder público deveria criar condições, incentivar linhas de créditos para os trabalhadores informais e melhorar a estrutura da orla com banheiros decentes e quiosques padronizados. A mudança precisa acontecer para melhor e de verdade.

  2. É realmente indignante e deprimente. Esse quadro de favelização tem se agravado com o passar do tempo a demonstrar o descaso do poder público. Olinda, cidade com potência turístico,
    tem de conviver essa poluição visual além das condições insalubres que tudo isso gera. Penso que não seria muito a atuação da prefeitura para impor ordem e adequação na ocupação dos espaços públicos. Exemplos podem ser colhidos em administrações de cidades de outros estados do Nordeste. Como morador de Casa Caiada,fica o meu registro.

  3. É realmente indignante e deprimente. Esse quadro de favelização tem se agravado com o passar do tempo a demonstrar o descaso do poder público. Olinda, cidade com potência turístico,
    tem de conviver essa poluição visual além das condições insalubres que tudo isso gera. Penso que não seria muito a atuação da prefeitura para impor ordem e adequação na ocupação dos espaços públicos. Exemplos podem ser colhidos em administrações de cidades de ouros estados do Nordeste. Como morador de Casa Caiada,fica o meu registro.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/observatoriodeol/public_html/wp-includes/functions.php on line 4609