Skip to main content

A FARRA DOS FALSOS ATESTADOS MÉDICOS NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

Centenas de estudantes da rede pública municipal estão sendo prejudicados pela prática imoral, criminosa e antiética de professores ligados à Secretaria de Educação de Olinda que vêm apresentando atestados médicos falsos para abandonar as salas de aula e continuar recebendo salários sem trabalhar.

A denúncia chegou ao Observatório através de um funcionário da prefeitura indignado com a fraude, que, segundo ele, também conta com a conivência da junta médica que avalia os pedidos de afastamento.

O servidor afirma que é muito simples para órgãos de controle como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ou o Ministério Público constatar a fraude. Basta cruzar os nomes dos beneficiários das licenças em Olinda com os vínculos que estes mesmos professores têm em outros municípios, no estado ou em empresas privadas.

“É revoltante a gente ver que essas pessoas não estão doentes, mas conseguem estes atestados para roubar a cidade. Não tem outro nome para isto. São ladrões do dinheiro público. E o pior é que muitos aparecem cinicamente no Facebook empunhando a bandeira da moralidade e do combate à corrupção”, afirmou.


DOENÇA GEOGRÁFICA – De acordo como denunciante os mesmos professores que pedem afastamento por doença em Olinda continuam trabalhando normalmente em escolas de outros municípios e até dando aula em universidades.

“É um caso único no mundo de “doença com limitação geográfica”. Ou seja, depois que o camarada sai dos limites de Olinda ele ganha automaticamente condições de trabalhar. Mas se voltar na cidade adoece de novo”, ironizou.

A Prefeitura de Olinda precisa reavaliar imediatamente cada uma dessas licenças e punir com rigor os fraudadores (professores, médicos ou qualquer outro servidor envolvido). Não é possível que homens e mulheres que realizaram concurso público para exercer a missão de EDUCADORES estejam praticando este tipo de corrupção. Ministério Público e TCE, por favor, entrem neste caso também.

9 comentários em “A FARRA DOS FALSOS ATESTADOS MÉDICOS NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

  1. É verdade, professores só adoece em Olinda,em outras redes trabalha como escravo e não reclama,isso seria muito bom que Olinda desses punições a esses corruptos,Olinda é uma mãe,eu
    sempre disse, mãe cuida,mãe não deixa seus filhos entrar na corrupção,quando se falava eles dizia que estava sendo perseguidos.
    Tem muitos professores só de faixada,e doutores principalmente (graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado) mas não querem nada só o dinheiro no final do mês,com exceções de alguns que ama fazer o que faz.

  2. Nao seja maledicente, primeiro diga de onde veio esse fonte e quais são os professores. Vc está generalizando com essa notícia e trabalho muito, muitas vzs doente. Para de colocar a sociedade contra TODAS/TODOS PROFESSORAS/PROFESSORES. Vá diretamente a secretaria de educação e a junta médica. Tenha provas, pq apenas fala não prova nada.

    1. Com relação à “fonte” a Constituição do Brasil garante ao jornalista o “sigilo da fonte”, pois é claro que quem passou as informações seria perseguido pela prefeitura e pelos colegas que se utilizam da máfia dos atestados. Quanto à investigação, a Secretaria de Educação vai levantar quem está fraudando e o Ministério Público também já está de olho nos maus profissionais.

  3. Se um funcionário publico tem esse tipo de denúncia deve faze-lo junto ao MPF. São dois crimes neste caso dos supostos servidores e médicos, assim como do denunciante que está prevaricando. Isso é passível de provas. Isso mancha minha categoria vão ter que provar.Vou entrar com ação idiotas e irresponsáveis!!!!

  4. Conheço uns que fazem isso. A cidade de abreu e Lima está cheio desses farsantes. MPF atenção para o município de Abreu e Lima. Funcionarios concursados da rede Municipal de ensino do município fazem a festa com atestado falso.

  5. Que isso acontece a muito tempo em Olinda,.específicamente é assunto em questão,. Em toda profissional existe bom e mau funcionarios. Que bom que foi descoberto. Mas acho que a Junta Medica não seja conivente. Precisei alguns vezes e observaram o CID do problema, me fizeram perguntas antes de carimbar e me dá a liberação do atestado. Mas estamos no país chamado Brasil, todos são suspeitos até provar o contrário! Que seja feita a investigação ,.

Deixe uma resposta