Skip to main content

BLITZ REVELA DESCASO EM UNIDADES DE SAÚDE

Fardamentos abandonados de várias categorias da Saúde (Agentes Comunitários, batas, camisas polo, lençóis) além de máscaras de nebulização foram encontrados pela blitz realizada pela Câmara de Vereadores de Olinda nas dependências da Maternidade Brites de Albuquerque, cujas obras ainda se arrastam impedindo o atendimento da comunidade.

“O mais grave é que os profissionais que trabalham em outras unidades de saúde não estão recebendo fardamento” disse o vereador Jorge Federal, presidente da Câmara de Olinda. Equipamentos como incubadoras e camas também estão em processo de desgaste e armazenados de forma inadequada na maternidade.

A blitz também esteve na Unidade de Saúde da Família da Beira Mangue I e II, em Rio Doce, cuja porta de entrada estava repleta de lixo. “A unidade só tem serviço de limpeza duas vezes por semana e até tapurus foram encontrados na cozinha,” observou o vereador Ricardo Souza, que é enfermeiro e integrante da Comissão de Saúde da Câmara.

Os vereadores também constataram que a farmácia do posto só funciona em um expediente, faltam medicamentos como pomada ginecológica, ácido fólico e mebendazol, entre outros. “No posto da Beira Mangue, existe uma sala de odontologia que é utilizada como um depósito, existe uma cadeira sem instalações, falta o principal que é o dentista,” denuncia Jesuíno Araújo, integrante da Comissão de Saúde.

A blitz também constatou outras irregularidades no posto: Não tem assistente administrativo; sala de vacina não climatizada, com falta de seringa e vacinas; teto e paredes mofadas e com infiltração; reservatório de água (cisterna) com problema.

CONTAMINAÇÃO – Os vereadores também visitaram a Unidade de Saúde da Família do Alto da Conquista I e II onde não existe médico e apenas um dentista. A frente do posto de saúde sofre constantes alagamentos contaminando com lama a cisterna que abastece a unidade de saúde. A sala de curativo está com os ventiladores quebrados, fios de energia expostos e infiltrações que proporcionam o surgimento de mofo no teto e paredes.

“Enquanto temos milhares de fardamentos abandonados na Maternidade Brites de Albuquerque, os Agentes Comunitários de Saúde do Alto da Conquista não receberam fardamento este ano,” observa o vereador Ricardo Souza.


O vereador Irmão Biá anotou ainda as seguintes irregularidades: Profissionais não médicos transcrevem as receitas que são levadas para outras unidades para que médicos carimbem e assinem as solicitações para liberar os medicamentos, inclusive psicotrópicos; falta material de limpeza; bebedouro quebrado; retorno de esgoto na copa; agente de saúde com mais de 500 famílias para atender e falta de medicamentos como losartana, pomada ginecológica, anlodipino, ácido fólico e metformina.

 

“A limpeza só existe uma vez por semana graças a uma funcionária emprestada pelo posto do Alto da Conquista,” registra o vereador Irmão Biá. O presidente da Câmara, Jorge Federal, visitou o prédio ao lado ao posto de Águas Compridas, onde funcionou um núcleo de segurança e foi entregue a Secretaria de Saúde da Prefeitura para instalar a equipe de Agentes Comunitários de Saúde. “As instalações encontra-se abandonadas, o vidro da porta de entrada foi quebrado e houve furto de material,” informou Jorge Federal.

POLICLÍNICA – A blitz também realizou uma visita surpresa às instalações da Policlínica de Rio Doce, na IV Etapa. O equipamento de saúde não possui assistente administrativo, não tem auxiliar de farmácia, não tem cota de exame como endoscopia, ultrassonografia, colonoscopia, ecocardiograma, ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Faltam medicamentos como buscopan, aciclovir, metildopa, ácido fólico, prometazina, pomada ginecológica, amyrtril, entre outros. “Além dessas falhas, o ar-condicionado da farmácia não funciona e o aparelho de eletrocardiograma está parado por apresentar defeitos,” concluiu o vereador Jesuíno Araújo.

Deixe uma resposta